A visão cria a realidade

en de es pt-br
Depois de todas as experiências das últimas semanas e meses, sentimos o forte apelo do mundo para desenvolver a visão da nova cultura ainda mais profundamente, de modo a que um efeito de criação de campo possa abrir-se, tendo em conta o agravamento da situação mundial.

Caros amigos e estudantes por uma Terra Nova!

 Saudamos-vos em todo o mundo. A maioria dos nossos companheiros e colegas de trabalho que viajaram para sítios diferentes no mundo, no contexto do Campus Global, estão já de volta a Tamera. Ouvimos as suas impressões e as suas experiências tocantes em Israel-Palestina, Quénia, Brasil, Colombia e aqui, no Alentejo português, aonde eles simultaneamente visitaram projectos parceiros e apoiaram- nos no desenvolvimento de auto-suficiencia material e comunidade humana. (Os relatos dos vários grupos do Campus Global podem ser encontrados nas seguintes paginas: http://globalcampus.wix.com/ globalcampus#!reports/c1d5a).

Além da ajuda local para projectos individuais, o Campus Global pretende mostrar e fortalecer alicerces para uma nova cultura a emergir no nosso planeta Terra. Um dos nossos grupos, esteve durante um mês com a banda de música “Poesia Samba Soul”, nas favelas de São Paulo. No início dos anos 90, quando a banda se reuniu, a sua favela era o palco de uma guerra brutal em torno das drogas. No meio da pobreza e das lutas entre “gangs”, eles criaram um ponto de esperança ao longo dos anos. Através da criatividade, arte e música, eles ajudam jovens a sair do trafico de droga e a desenvolver perspectivas para as suas vidas. Partilhamos uma profunda amizade com estes activistas da favela. Quando o líder da banda, Claudio Miranda, visitou Tamera pela primeira vez, há quatro anos atrás, ele desenvolveu a visão de transformar a anterior “zona de vizinhança mais perigosa do mundo”, como as Nações Unidas chamaram a sua favela há vinte anos atrás, num modelo urbano futuro para a sustentabilidade, coexistência pacifica e comunidade – a “Favela da Paz”.

Coordenados por Vera Kleinhammes, nove pessoas de Tamera acompanharam “Poesia Samba Soul” durante um mês e apoiaram-nos a manifestar este grande sonho. Uma planta de biogás e instalações de permacultura foram desenvolvidas, um curso sobre comunidade tomou lugar, projectos de arte foram iniciados, etc. Durante a sua estadia, eles de repente receberam a notícia de que o centro da banda e as casas vizinhas de alguns milhares de pessoas podem ser em breve demolidos, sacrificados pela construção de um metro de larga-escala e de uma estação de comboios. Na preparação para a Copa do Mundo da FIFA e os Jogos Olímpicos, muitos dos pobres e marginalizados no Brasil, precisam de ser retirados, por causa dos planos do “progresso económico”. Está claro que agora, os nossos amigos em São Paulo, enfrentam questões como: Como continuar? Haverá um futuro para o nosso trabalho e projecto? Pode o nosso sonho da “Favela da Paz” ganhar mais poder do que o plano de infra-estrutura do governo? Não só no Brasil, mas também em Israel-Palestina, Colômbia e Quénia, os nossos grupos depararam-se com barreiras semelhantes colocadas pela garra do poder da globalização. É claro e óbvio que a questão não pode mais ser resolvida apenas ao nível local.

Depois de todas as experiências das últimas semanas e meses, sentimos o forte apelo do mundo para desenvolver a visão da nova cultura ainda mais profundamente, de modo a que um efeito de criação de campo possa abrir-se, tendo em conta o agravamento da situação mundial.

É por isso que queremos continuar e aprofundar o caminho geistig* da campanha “Imagina” – e convidamos-vos a participar activamente. Gostaríamos de dedicar o estudo deste mês de Dezembro a questão da “construção da visão”.
Para tal, vamos unirmos como um grupo impulsionador de Tamera, durante o início do Advento, para desenvolver uma espécie de “plano mestre” para o prosseguimento da implementação do projecto.

Se queremos superar a guerra, precisamos de uma visão concreta para a paz. O poder da visão é fundamental para o sucesso do nosso trabalho de paz e cura global. A luta actual entre as forças da vida e as da destruição, a qual se aproxima cada vez mais do seu climáx em todo o mundo, será decidida pela questão de se os poderes de paz globais são capazes de desenvolver uma visão realista para uma nova sociedade sem violência.

A visão é o factor de poder na vida que nos permite deixar para trás as velhas estruturas e criar uma outra realidade.
A visão cria a realidade. É o poder da visão, que faz com que muitas das incríveis performances em desportos radicais sejam possíveis; “out of limits”. O “Homem-Aranha” francês, Alain Robert, escalou os maiores arranha-céus do mundo sem corda de segurança. Com as mãos despidas, ele sobe por fachadas de vidro, a centenas de metros de altura. Ele diz que antes de entrar num novo edifício, primeiro que tudo, ele visiona sempre a sua escalada em detalhe. Às vezes, ele observa os arranha-céus durante dias, trabalhando na imagem da subida na sua mente, até a ter. Uma vez que a visão o tenha preenchido inteiramente, ele está livre de medo e preparado para ir.

Aqui estamos perante possibilidades realmente ilimitadas. Parece haver um número infinito de possibilidades de existência – “universos paralelos” – para a nossa vida na Terra e no universo. O único limite parece estar na nossa própria incapacidade de ver e usar estes potenciais. Como textos de estudo para este mês, enviamos-vos o ensaio “A Totalidade de Possibilidades” de Dieter Duhm e um texto do livro “O Universo Holográfico” de Michael Talbot, chamado “O Pensamento como Construtor”.

Antes disso, queremos mencionar mais alguns pensamentos e sugestões sobre o trabalho de visão:
Uma visão real, não origina apenas em nós, mas também sempre no todo do mundo. O poder da visão transforma o embrião em adulto, a semente em árvore e a lagarta em borboleta. A visão contém o padrão de informação, a impressão digital, através dos quais as forças superiores da vida e da criação podem operar no ser individual e conduzi-lo à sua realização. Uma das tarefas principais dos trabalhadores pela paz de hoje é aprender a construir visões, permitindo-nos entender conscientemente estes processos, conduzi-los e aplicá-los.

Prentice Mulford escreveu: “Quem carrega uma imagem de si mesmo na mente, uma imaginação que o mostra em perfeita saúde, força e agilidade, chama, assim, as forças criativas que o tornam saudável, forte e ágil. Não importa o quão fraco se possa sentir – se vir o seu corpo a partir deste momento em espírito, como saudável, forte e vigoroso e afirmá-lo, então pode construir o quadro espiritual de um novo corpo, que imediatamente começa a construir-se a partir do velho corpo e a atrair os elementos de saúde e poder de que necessita para a sua construção.”

Podemos aplicar este efeito individual, também aos níveis ecológicos e políticos. Em 2007, convidamos o mestre de permacultura austriaco Sepp Holzer, para Tamera. Queríamos descobrir se uma comunidade de 200 a 300 pessoas poderia ser fornecida de forma auto-suficiente com água e comida da nossa própria terra, que na altura estava a secar devido ao processo de crescente desertificação. Nestas circunstâncias, isto parecia quase impossível. Quando Sepp Holzer ouviu esta questão, riu-se e disse: “Se vocês pudessem ver através dos meus olhos …” Ele descreveu o potencial de uma abundância imensa, que ele podia ver para além da destruição actual nesta paisagem, e transmitiu-nos o conceito de “Paisagens de Retenção Aquática”. Em todo o mundo, onde Sepp Holzer dá consultas ecológicas, foca-se em “ver o sonho da paisagem”, como ele diz. Em Tamera, isto foi tão forte, que a construção das Paisagens de Retenção Aquática começou já poucos meses depois, com a construção do primeiro grande lago, no Verão de 2007. Agora, seis anos mais tarde, o lugar está quase irreconhecível; desenvolve-se num paraíso da natureza rico em água.

O que nos dá a confiança e a esperança para olharmos fielmente para um futuro curado, apesar das atrocidades globais? É a existência de um outro plano da criação, que é tão real quanto os últimos 5000 anos de história violenta. Esta matriz intacta e sagrada existe, apesar de todo o sofrimento e de toda a aberração. Podemos sentir esta certeza em situações especiais e momentos abençoados, em que a “outra realidade” claramente entra nas nossas vidas – momentos de experiências de profunda confiança e amor, experiências com Deus, situações de cura, “insights” profundos, reconciliações inesperadas ou por estar sob protecção especial num acidente.

O ser humano é o “olho da criação” (Huxley). Nós, seres humanos, temos a capacidade de trazer à luz realidades latentes através da nossa consciência e, assim, trazê-las à vida. Terra Nova é uma realidade tão latente. É o novo sonho da vida na Terra, com o qual o mundo esta “grávido” hoje.

Para uma Terra livre, sem guerra e crueldade, se manifestar, tem de ser vista pelos primeiros humanos. Os novos modelos de paz e Biótopos de Cura, novas formas de amor e sexualidade, comunidade funcional, crescimento das crianças protegido, nova economia e reconciliação entre as povos da Terra – tudo isto pode apenas manifestar-se, na medida em que as primeiras pessoas sejam capazes de o “ver” nas suas mentes e espíritos. Aqui reside uma das principais razões para a construção da Escola Terra Nova. Juntamente com a vossa ajuda, nos diferentes lugares em todo o mundo, queremos construir um campo global de consciência que nos permite desenvolver e manifestar a visão. Os grupos de estudo individuais podem ser transformados em núcleos de consciência; pontos de encontro para espaços geistig a surgir, nos quais a nova informação pode ser desenvolvida e espalhada pelo mundo.

Neste contexto, nasceu também a campanha “Imagina”. Depois do Dia Mundial de Grace, em que as dez imagens desenvolvidas por nós foram visualizadas em muitos sítios, gostaríamos de vos convidar a participarem neste processo de construção da visão. Por favor estudem estes pensamentos – talvez vos inspirem para desenvolverem “Imagina” nos vossos grupos: Quanto já conseguem ver, quando aplicam a visão ao vosso país, cidades ou regiões? Há imagens para a transformação positiva no Alentejo, Lisboa, Israel-Palestina, etc…? Podem também iniciar projectos de teatro e arte dedicados a esta pesquisa. Encontremos as imagens e os pensamentos de cura que nos enchem de certeza! As vossas contribuições são muito bem-vindas.

Queremos concluir com uma frase de poder do livro “Fontes de Amor e Paz” de Sabine Lichtenfels: “Se estás conectado com o sonho do mundo, reconhece-lo pela tua força crescente. A conexão ao sonho da criação leva sempre a um ganho de poder.”

Saudamos-vos em gratidão pela vossa participação. Desejamos-vos um alegre mês de estudo!

Em nome do amor.
Venceremos!

Martin Winiecki, Monika Berghoff, Nora Czajkowski, Inês Magalhães, Jana Elger

 

—————————————————————————————————

*Observação sobre a tradução: As palavras alemãs Geist e geistig não têm equivalente exacto em português. Em diferentes contextos estas podem referir-se à atividade mental consciente, ou a processos e entendimentos mais espirituais; e na maior parte dos casos o significado cai nalgum lugar entre estes dois. Estas costumam ser traduzidas como mente-espírito ou mental-espiritual. Ambas as palavras são usadas com tanta frequência em Tamera que é costume deixá-las sem tradução.

Share your thoughts:

Your email address will not be published. Required fields are marked *