NÃO AO FURO, SIM AO FUTURO

en de pt-br
Por um Sudoeste Alentejano com energia solar


Vamos unir-nos e parar a exploração de petróleo no mar alto e o fracking em águas profundas na costa Portuguesa. Não podemos aceitar esta decisão tomada pelos governantes anteriores e atualmente em poder, sem incluir a população e sem as devidas avaliações dos seus impactos ambientais.

Sabemos que:
A indústria petrolífera encontra-se em decadência no mundo inteiro. Os empregos que foram prometidos não existem. O lucro das companhias de petróleo jamais irá abranger a sociedade Portuguesa.
A exploração de petróleo e especialmente fracturação hidráulica trará impactos muito negativos ao que nos é precioso: a qualidade da água, a vida marinha, as praias, a pesca e o turismo, os nossos empregos e sustento.
Com a perfuração de petróleo, arriscamos um derrame de petróleo como o Deepwater Horizon em 2010 no golfo do México, que transformou as praias numa massa preta.

Deverá este ser o futuro das nossas praias e costa? Dizemos NÃO! Não iremos deixar que isto aconteça, em consideração pela Natureza, pelas nossas crianças e pelo futuro de todos. Manifestamo-nos para proteger a vida, porque a vida é sagrada e mais preciosa que qualquer tipo de lucro.

Temos que saber ao que dizemos “Sim” para que o nosso “Não” possa ser forte e eficaz.
Existe uma alternativa. Em vez de dependermos de uma indústria petrolífera em decadência, podemos construir um sistema regenerativo, com base na cooperação entre pessoas e com a Natureza.
Podemos desenvolver energia abundante e limpa para todos através do uso de tecnologias solares descentralizadas. A energia solar é a que realmente oferece empregos, como podemos observar noutros países, assim como a agricultura biológica, sem recorrer a combustíveis fósseis, providencia o abastecimento alimentar necessário à nossa região, restaura a paisagem, as florestas e repõe o ciclo da água.
Nesta base, teremos a possibilidade de revitalizar as nossas povoações e criar uma sociedade próspera orientada pela solidariedade e cuidado.

O Alentejo, como uma das mais ricas regiões solares da Europa, poderia colocar-se na frente de um futuro mundial em ascensão e tornar-se pioneiro da era solar descentralizada emergente. Portugal poderia seguir o exemplo da Irlanda que decidiu ser o primeiro país a desinvestir por completo nos combustíveis fósseis. Convidamos especialistas em energia solar, ecologia, em gestão da água e construção de comunidades a ajudar a libertar a nossa região destes sistemas de exploração e destruição. (Já existem exemplos para isto a surgir na região do Alentejo Litoral, como: Movimento de Transição de São Luís, desenvolvimento autónomo de Energia em Tamera, hotéis, freguesias e empresas que mudaram do uso de petróleo para a energia solar.)

Convidamos ativistas de todo o mundo a mobilizarem-se connosco contra a exploração de petróleo e pela alternativa. Saudamos especialmente os nossos amigos das tribos indígenas em Standing Rock (Dakota, EUA), que se opuseram à construção de um oleoduto na sua reserva e inspiraram milhões de pessoas no mundo inteiro. Tal como eles, dizemos à indústria petrolífera: “Não vos odiamos mas não aceitamos vossas ordens.” Convidamos também todas as empresas, políticos, legisladores e vereadores a participarem na mudança: Invistam num novo futuro!

Agradecemos ao Município de Odemira por se ter posicionado tão claramente em oposição à perfuração de petróleo. Pedimos que se juntem a nós e digam SIM à esperança nesta região.

VAMOS PROTEGER A VIDA! JUNTOS CONSEGUIMOS!

ALA – Alentejo Litoral pelo Ambiente
ASMAA – Algarve Surf and Marine Activities Association
Academia Cidadã
Horta do Zé
Tamera
Paulo Borges

One thought on “NÃO AO FURO, SIM AO FUTURO

Share your thoughts:

Your email address will not be published. Required fields are marked *